Resenha: A noite mais sombria (1# Senhores do Mundo Subterrâneo)


TÍTULO: A Noite Mais Sombria

AUTOR (A): Gena Showalter

GÊNERO: Ficção e Romance Erótico

EDITORA: Harper Collins

PÁGINAS: 319

SINOPSE: Ashlyn Darrow sempre fora atormentada por vozes de diversas épocas, sobrepostas, interligadas, vindas de todas as direções, causando profundo sofrimento. Só havia um lugar onde ela talvez pudesse encontrar a cura para seu mal: a misteriosa fortaleza habitada pelos imortais, em Budapeste. Homens com poderes extraordinários, cada um carrega selado em si um dos demônios da caixa de Pandora. Porém, somente Maddox, castigado pelos deuses com a mais cruel das maldições, seria capaz de livrar Ashlyn de seu desespero. Morrendo todas as noites e renascendo à alvorada, o guardião do demônio Violência agoniza com o desejo de tocar Ashlyn, mas receia perder o controle sobre o espírito maligno e se tornar uma ameaça para ela.


Oi, gente, tudo bem? Depois da minha revolta com Amante Vingado, comecei a ler A noite mais sombria, que tem uma pegada bem erótica e parecida com a saga da Irmandade da Adaga Negra.


A capa é linda, e já que estou nessa vibe meio erótica e sobrenatural, por que, não? Além de ainda mesclar mitologia grega e demônios.


A premissa é boa, e as divergências e semelhanças com A Irmandade são bem evidentes. A história é um clichê tremendo do início ao fim? Sim. Contudo não é tediosa. Um dos pontos que pesou foi os momentos e as situações mais tensas que precisavam de mais atenção e aprofundamento, não foram bem trabalhadas e foram resolvidas tão facilmente quanto um suspirar.


Mas, positivamente, a escrita de Gena Showalter é menos massiva e bem mais fluente do que a autora da Irmandade. As descrições são tão diretas e ao mesmo tempo detalhadas que é fácil ler tudo de uma vez.


As cenas de sexo demoram um pouquinho, mesmo que a tensão sexual seja desde do início do livro. A escrita é viciante e os personagens são bem característicos e lindos demais. Enquanto a leitura avança é bem óbvio para quem ler muitas fanfics, identificar uma. E, claro, isso não torna o livro ruim, e sim deixa um ar descontraído a história e a evolução da autora conforme os capítulos vão avançando.


A protagonista, Ashlyn, apesar de suas habilidades exóticas, se podemos chamar assim, ainda é um personagem muito vazio dominado pela obsessão que cria pela "paz" que sente no silêncio perto de Maddox. O que, até o momento, não foi respondido e muito menos resolvido.


Ashlyn é interessante ao mesmo que é mais um pano para cobrir furos na história de maneira simples e fácil. Pelo menos, a agressividade que tinha para mandar em Maddox era um ponto positivo, mesmo que isso fosse basicamente para sustentar a ideia de que um homem agressivo que não se apega a ninguém ou tem todas aos seus pés, se apaixona justamente a que vai contra ele.


—Mulher? —disse o anjo, com a voz irradiando confusão.
— Calado. — Ela foi tomada por uma onda de satisfação. Até em seu lar, b=na Carolina do Norte, numa casa que fora construída por operários proibidos de falar mais do que o necessário, ela sempre ouvia o eco de sussurros profundamente arraigados. — Não fale. Apenas aproveite.

Agora, tirando um pouco do foco do casal protagonista, temos os outros guardiões, que sinceramente, daria uma história perfeita de harém inverso, se não fosse as aparições de novas mulheres no enredo. Mas, isso é só uma ideia de fanfic minha mesmo. Todo os guardiões tem seus próprios demônios e suas próprias conexões com eles, além de suas próprias maldições pelo crime que tinham cometido ao assassinar Pandora, que na história seria uma das melhores guerreiras, e por ai já vimos que apesar dos estereótipos de mulher indefesa no livro, ainda há vagos clarões de esperança quanto personagens femininas que possam ser melhor aprofundadas no continuação da saga.


A guerra dos deuses é mais uma pano de fundo do romance de adolescente, não sei dizer se isso é ruim ou não, porque já passei mais de um ano lendo a saga da Irmandade da Adaga Negra, e de alguma forma isso melhorou bastante por lá.


Em resumo, A Noite Mais Sombria, é um livro descontraído com um pouco de violência, bastante tensão sexual, romance juvenil e fortes emoções, além de personagens muito promissores.

.

Leia Também

Resenha: Amante Vingado




Destaques

Posts Recentes

Arquivos

Tags

Siga a gente

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon