Resenha: Amante Liberto (5# Irmandade da Adaga Negra)


TÍTULO: Amante Liberto AUTOR (A): J. R. Ward GÊNERO: Ficção e Romance Erótico EDITORA: Universo dos Livros Editora

PÁGINAS: 496


SINOPSE: Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, a guerra explode entre vampiros e seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. O coração gelado de um predador será aquecido mesmo contra a sua vontade...Destemido e brilhante, Vishous, filho de Bloodletter, possui uma maldição destrutiva e a capacidade assustadora de prever o futuro. Criado no campo de guerra de seu pai, ele sofreu maus tratos e abusos físicos e psicológicos. Membro da Irmandade, ele não se interessa por amor nem emoção, apenas pela batalha com a Sociedade Redutora. Mas, quando uma lesão mortal faz com que fique sob os cuidados de uma cirurgiã humana, a Dra. Jane Whitcomb, ele é levado a revelar a dor que esconde e a experimentar o verdadeiro prazer pela primeira vez... Até que o destino, que V. não escolheu, o leva para um futuro do qual Jane não faz parte.


Outro livro que estava bem animada para ler. O Vishous é um dos personagens mais misteriosos, tirando o Darius, que não sabemos nada do passado. E sem contar no Bro-mance dele com o Butch, o que fiou bem claro que ele gostava dele de uma forma romântica.


Torci demais para esse casal. E torcerei por eles até o fim da saga e depois dela. Esperei por muitos fan-services e houve bastante no final. Contudo, o par romântico de V. foi o mais forçado até então. Não digo que por el ser um personagem sem graça, na verdade, ela é uma das mais intrigante, sendo capaz de resistir (ate certo grau)a hipnose dos vampiros por ter uma mente muito formidável.


Não houve basicamente nenhum foco quanto aos redutores, que são os inimigos do vampiros criados por Ômega, quanto teve nos livros anteriores. Ficaram tão desfocados que quando eles aparecem nem teve relevância serem redutores ou não.


Em geral, gostei bastante dos momentos de descontração e os d emoção entre Butch e Vishous. A química deles é tão grande que se um brilhar nu por ai e o outro carregar no colo como princesa seria uma oficial do livro (hihi).


Jane é destemida e incrivelmente prática e gentil ao mesmo tempo. Ela foge um pouco do estereótipo da série das mulheres terem corpo escultural. No caso, a unica diferença é que ela não tem peito e um rosto mais anguloso, o que poe ser ser considerado que ela seja "masculinizada". Não sei se isso seja pelo fato das preferências de V. pelo seu parceiro de vida ser um homem... No caso, só me vem isso pela cabeça.


É mencionado bastante o quanto "ela dá ordens" em qualquer um ou como não é facilmente dobrada quanto a suas opiniões como e isso fosse características somente masculinas. Isso incomodou bastante.


Contudo, nem tudo se resume a descontentamento. A abordagem sobre BDSM, ou seja, prazer sensual e/ou sexual em agredir ou ser agredido. Admito que foi bem interessante. Não foi algo explorado com os outros casais, mesmo que sempre tivesse o sexo selvagem e o poder de um sobre o outro nas intimidades, mas nunca dessa forma. Foram poucas cenas, na minha opinião.


Em Amante Liberto, vemos a desconstrução de masculinidade. Seja por traumas de abuso ou maturidade emocional. Não ficou explicito que os vampiros realmente e importam com orientação sexual, porém há apenas uma leve estranheza sem realmente se importarem com isso.


V é descrito como se não fosse muito bonito ou com cara de mafioso. Não sei se isso é um defeito ou não. Até porque até Wrath tem cara de mau e é um dos mais bonitos, colocando medo em qualquer um ou não.


Não sei dizer se gostei desse livro, mas também não odiei. Ele preencheu algumas lacunas quanto aos Irmãos e principalmente sobre a Virgem Escriba e sobre Ômega. O por quê dessa guerra. Não foi respondido por completo, mas finalmente estamos começando a ter respostas.


E eis a questão o que aconteceria se uma vampira fosse treinada para ser da Irmandade? Já estava me perguntando isso já faz algum tempo. É meio estranho que as mulheres só sejam fortes emocionalmente e psicologicamente? Enquanto os homens com o emocional destruído?


Enfim, até o próximo post e tenham um ótimo final de semana!

"-Você teria sido uma grande guerreira, sabia?"

-Eu sou... a morte é minha inimiga."


Leia mais...

Resenha: Amante Revelado










Destaques

Posts Recentes

Arquivos

Tags

Siga a gente

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon