Resenha: Felicidade por um fio (2018)


Hello, gente! Para quem ainda está procura de algo leve e emocionante para assistir, Felicidade por um Fio é uma ótima escolha. De tanto filme que comentamos por aqui e mais as séries, seria ótimo ter uma parceria, porque a Netflix já é quase uma questão de sobrevivência.


Esse filme como muitos outros ignorei completamente o anúncio. Achei que seria algo sobre militares... o que não faz o menor sentido. As fotos pareciam que ela era um soldado sobrevivente de uma guerra longa e árdua, não que isso esteja longe da verdade, mas era o que passava na minha cabeça.


O assunto “transição” estava sendo tão comentado recentemente, tanto por fora quanto aqui no Brasil. Milhares de mulheres infelizes com seus próprios cabelos tentando se padronizar em uma forminha que não se adéqua para todo mundo. Além de maltratar o cabelo de forma muito infeliz.


Não esperava que fizessem um filme sobre o assunto, e só me interessei ao ver um vídeo sobre o longa na época que ainda usava o amino.


Fico feliz que tenham feito, porque o filme é emocionante!



Violet Jones vivencia situações que muitos já passaram. O preconceito latente com o cabelo crespo para cacheado até mesmo de quem tem cabelo crespo para cacheado. Violet não podia nem entrar na piscina sem que a lembrassem que a aceitação que tinha devia-se ao seu cabelo alisado.


Quem sofre/sofria pressão pela mãe ou de parentes para alisar o cabelo, sabe o quanto isso é ruim. Claro, isso não significa que é porque querem o seu pior. É o que eles acreditam que funciona para todo mundo e é o melhor a ser feito. Contudo, viver à margem dos que os outros querem pode se tornar um pesadelo que se não tomar uma atitude será incapaz de acordar.


O incrível é que são muitas pessoas presas no mesmo pesadelo.


Hoje em dia ainda vemos gente quase desesperado por que a progressiva não está em dia. No filme, é retratado de forma bem clara isso. Até mesmo o seu noivo e sua mãe são lembretes de que ela deve ser sempre perfeita. Cabelo impecável sempre.


Após um acidente com um alisante seu cabelo começa a quebrar e a cair. Em um momento de surto ao estar bêbada ela raspa (desastrosamente) sua cabeça. E ela percebe, que até no trabalho, era o que a fazia chamar a atenção, e que a respeitassem como profissional.

Do começo até o final a obra é bem realística sem deixar de nos fazer nos identificar e nos colocar em seu lugar. Quebra alguns padrões de uma comédia romântica onde a mocinha ao superar seus obstáculos corre de encontro ao “herói” da história. Contudo, aqui, ela é sua própria heroína.


Mare é um ser humano como qualquer outro. Ela erra, aprende, erra de novo, mas continua seguindo em frente com a cabeça erguida. Alguns foram um pouco além do meu ponto de vista moral, contudo é a partir disso que ela toma uma atitude definitiva.


Antes de tudo quando vivia sob as expectativas dos outros ela nem sabia mais quem era. Nem as pessoas a sua volta sabem quem ela realmente era.


E toda essa repreenda consigo mesma acaba afetando os outros. Se ela não se reconhece também não sabe quais são os seus limites. A cena que ela critica maldosamente o cabelo de uma criança... É cruel que vejamos exatamente o que ela pensa de si mesma. E o quanto pode machucar os outros por causa de seus próprios problemas mal resolvidos.


O pai da menina em questão é um dos melhores personagens do filme. Um exemplo de pai. Incentivando sua filha a ser empoderada, fazendo seus próprios produtos naturais para cabelo, e mesmo que no início isso não seja um objetivo visto como real é um sonho que cresce e evolui com até o fim do filme.


Aliás, o filme mostra exatamente isso: Pessoas sobrevivendo aos seus problemas e ultrapassando seus obstáculos. Mas não traz uma visão ilusória que tudo seja “Feliz para sempre”, sempre haverão dificuldades, mas é através delas que amadurecemos e nos tornamos uma versão melhor de nós mesmos.


Vivendo e aprendendo.


Não existem vilões, e sim seres humanos que podem causar tanto bem a humanidade e ao mundo quanto a sua destruição.


É um filme inspirador para quem estar em busca de mudanças, seja quem está na transição ou quem está precisando de um incentivo em sua vida. Não é necessário ter outro amor da sua vida, se você é seu ponto de inspirações e paixão, entende?


Precisamos um dos outros, obviamente, mas não significa que deva colocar todos seus objetivos, planos futuros, esperança e aceitação em outros, se isso era algo que deveria partir de você, primeiramente.


E vocês já assistiram um filme que realmente os surpreendeu e fez vocês refletirem bastante?



Leia também...

Resenha: Insatiable (Série)

Tenham uma ótima semana.

Xobye.


"Não espere que façam por você, aquilo que não teve coragem de pensar por si mesmo."

R.W.


Destaques

Posts Recentes

Arquivos

Tags

Siga a gente

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon