Resenha |.| As violetas de março

Título: As violetas de março. Gênero: Romance Páginas: 304 Editora: Novo Conceito

Autora : Sarah Jio

O Livro conta a história da Emily Wilson, uma personagem forte que passa por muitas lutas internas, por conta do seu ex marido. Com o qual ela recententemente divorciou. Vendo que sua vida estava um completa bagunça. Emily precisava muito continuar a viver. E principalmente voltar a escrever, era muito importante que ela continue escrevendo seus livros, coisa que por conta dos recentes acontecimento ela não consegue, depois de se convencer que ela estava um um bloqueio de escrita.E quando ela conta para sua melhor amiga o que tinha acabado de acontecer com ela.

Sua amiga então Annabelle fala de seus ficantes para animar Emily, mas nada disso funciona. E quando Emily recebe um cartão postal da sua tia, a convidando para uma visita em sua pousada. Pensando o quanto seria bom para sua escrita ficar em um local a onde não lembra-se seu ex marido, Emily se lança nessa aventura, visitar a sua tia no mês de março. No começo ela percebe o quanto pode ser difícil tirar seu ex marido de sua cabeça e quando ao pucos ela vê que a sua relação esteva pouco a pouco se acabando. Chagando na pousada de sua tia, e onde ela e resebida com o abaço acolhedor de mais que uma velha amiga.

Em um esconderijo em seu quarto ela encontra um livro, na verdade um antigo diário, de 1940 acaba tirando o almejado sossego de Emily e se transformando no seu mais novo companheiro. Com o achado descoberto no fundo de uma gaveta, ela mergulha na leitura de uma biografia misteriosa que envolve os antigos moradores da ilha e tem relação até mesmo com sua própria vida. Sentindo um misto de estranhamento e comoção, Emily fica completamente embevecida por suas páginas e vivencia uma história que o destino irá se encarregar de escrever. Assim como as violetas de março, que desabrocham fora de sua estação para provar que tudo é possível, a vida de Emily toma rumos improváveis e vigorosos, repletos de possibilidades e surpresas. O manuscrito de Esther retrata um amor forte e atemporal que irá aquecer o coração de Emily e lhe proporcionar uma viagem mágica pelo desconhecido e enigmático passado... As Violetas de Março é um romance soberbo e bem orquestrado, que rompe o véu entre o passado e o presente para mostrar que tudo é possível, desde que se tenha amor, fé, confiança e perseverança. Tanto as partes contemporâneas, que nos descrevem o presente de Emily quanto as partes epistolares, que nos retrataram a bela e requintada história de amor de Esther, são dotadas de uma beleza ímpar, que transpassa a linha tênue entre o passado e o tempo atual como num passe de mágica. Narrado em primeira pessoa por Emily e com fragmentos exuberantes do diário de Esther, o livro se mostrou um romance primoroso e repleto de esperança.

À medida que vai fazendo suas descobertas pelas páginas do diário de Esther, Emily também enxerga a si mesma naquelas entrelinha. Mesmo quando surge um suposto triângulo amoroso na trama, envolvendo um ex-namorado da protagonista da época de adolescência e um morador misterioso e enigmático da ilha, ela permanece segura em suas convicções.


A medida que as paginas se passavam era encantador ver que Emily evoluía e se mantem a mesma personagem forte, com estratégias estranhas e com sentimentos de uma personalidade forte e firme. o livro e lindo e merece muito mais do que eu escrevi. sei que isso e estranho para uma obra literária mas o livro me deixou com o coração na mão quando Emily, descobre algumas coisas relacionadas a ela e uma homem misterioso, que em seguida ela descobre ser seu antigo amigo de adolescência.


"O amor não era uma flor de estufa, forçado a brotar, ainda que relutante.

O amor era uma erva daninha que explodia em flor inesperadamente à beira da estrada."

- Sarah Jio




Destaques

Posts Recentes

Arquivos

Tags

Siga a gente

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon