Tipos de personagens: Vilões



Como prometido eis aqui a postagem falando sobre os vilões. Se não sabe o que estou falando dê uma olhadinha nessa publicação : >> Criando seu personagem <<. Não foi em uma segunda-feira e muito menos fui rápida em fazê-la, mas ela está aqui!


Os vilões não são muito difíceis de serem imaginados, sempre pregamos a "placa" de "pessoa má" em seus pescoços sem ao menos pensarmos no assunto. Ás vezes nem nos questionamos o porquê de tanta maldade ou se ele possui alguma razão para ser assim. Eles não podem estar corretos com seus métodos, mas nem sempre o motivo é banal.

Importância

Antes de tudo, devemos avaliar a importância que um vilão tem em uma narrativa. "É algo tão descompromissado que se quiser me livrar que tudo ainda continuará nos eixos?" "É relevante termos um vilão na história?". Essas são as primeiras perguntas que devemos nos fazer antes de entender o quanto esse tipo de personagem é essencial em uma história.


Todos já sabemos que o relacionamento de vilão x mocinho é sempre interligado de alguma forma. Seja por que foram melhores amigos no passado ou o mocinho tenha assassinado o irmão do vilão ou apenas seja uma duplicata malvada sua que tenha pegado seus dois namorados vampiros... É muito relativo para cada história, mas sempre parte do princípio que eles possuem algo em comum, como YingYang.


Um dos principais papéis do vilão é incentivar e ser um obstáculo para o protagonista. Ele traz movimento na história independente se os eventos principais estejam meio parados igual água de poço. Um exemplo é quando tudo já se encontra em perfeita paz com o protagonista, tudo não pode até estar em perfeita ordem, contudo há uma certa falta de ação, podemos dizer assim. E se, no meio de toda essa calmaria, surgisse o vilão que sabotaria todos os projetos do seu arqui-inimigo e o fizesse realmente se dar mal? Isso é uma reviravolta. E reviravoltas, na maioria das vezes, trazem um impulso nos acontecimentos.


Estereótipos


Claro, que já vimos muitos clichês de romance por ai. E não é muito diferente com os vilões. Quem nunca viu o personagem mais malvado de toda a saga querer dominar o mundo e superar o mocinho? Isso é um clichê. Estereótipos de personagens é um clichê que tende a se repetir de diversas formas e em diferentes épocas. Mas, e então, quais são os tipos mais estereotipados dos vilões?


O primeiro que irei falar, é o que mencionei anteriormente: Ele sempre quer dominar o mundo. Não importa que esse seja um sonho bem improvável, ele vai tentar alcançá-lo. É até surpreendente sua insistência no assunto quando poderia esta comendo uma bela de uma pizza bem ali na esquina.


E, claro, que no contexto certo é interessante rever esse tipo de personagem, mesmo que de tanto aparecer personagem assim, já cansa os ouvidos ouvir aquele discurso batido. Contudo esse tipo sempre possui a prezada habilidade de bolar planos, seja na genialidade ou pela sorte.


2- Outro tipo bem comum de vilão é o personagem que inicialmente era um mocinho e por algum motivo acaba indo para o lado negro da força. Ás vezes se torna o pior inimigo que alguém poderia ter ou apenas vira alguém na extensa coleção de inimizades do protagonista, e acaba perdendo mais foco do que ganhando.


Sabemos que o principal motivo da trama tomar esse rumo é o aprimoramento do protagonista, pois eles eram amigos; havia uma ligação ali que com certeza deixaria sequelas se fosse rompida. Se não valorizassem apenas o personagem principal, perceberiam o quanto é vantajoso mostrar os dois lados da moeda. Um exemplo disso é o Naruto e o Sasuke, de Naruto. Eles tinham um grau de amizade/ rivalidade e quando foi rompida o outro fez merda e o outro foi correndo atrás para limpar a sujeira que o outro tinha feito. Um queria ter a amizade de volta e outro estava cego por uma vingança vã. Essa transformação já premeditada foi o que rendeu um conteúdo mais rico, mesmo tendo muitas enrolações. Traições surpreendem o público, seja ela esperada ou não, porque o que realmente importa é o que vai acontecer depois."Como vai ficar a história?" e "Ou por que ele fez isso?" Esse tipo de sentimento envolvido.


3- Voltando ao assunto, o vilão sempre se dá mal. Esse é um dos maiores clichês. O vilão pode ser aquele querido ex- amigo (vai perder), pode ser o cientista mais genial da face da Terra (vai perder) ou se ficção. É algo que mexe com nosso senso de justiça. Seja ela por esses motivos ou por torcer para que o vilão ganhe, após tanta gerações fracassadas.E falando em fracasso...

4- O pior defeito de um vilão é sua falação, me canso de ver os vilões se dando mal só porque não souberam calar a boca, e acabavam contando seu plano todinho; gente, aprende com os escorpianos, o que ninguém sabe, ninguém atrapalha. Simples. Depois reclama que não consegue nada. É claro! Você atrapalha seu próprio plano!


E como um extra, vamos comentar sobre a beleza. Antigamente era extremamente comum usar a beleza para parâmetro de bondade, sem uma justificativa coerente. Sei que existe lugares, histórias onde o extremos é colocado como grande potencial de divosidade. Hoje em dia, vejo mais o segundo caso do que o primeiro, o que, sinceramente, eu prefiro dessa forma.


Um vilão difícil de ser derrotado


E, agora, o vilão que eu realmente não classificava como vilão: O que não é uma pessoa. Criaturas místicas, personagens humanizados não conta muito. Esse é o tipo de vilão que dificilmente será derrotado. Ele pode ser uma doença, um acidente, um trauma... Eles são perfeitos para uma história ter um fim bem trágico. Ele é algo que realmente atinge o protagonista como um verdadeiro "vilão", contudo ele possivelmente não será um personagem. Em geral, ele possui extrema importância na história que confronta todos os ideais e princípios dos personagens principais ou de todo elenco mesmo e os fazem amadurecer.



Personalidade

Não poderíamos deixar de mencionar as personalidades mais interessantes dos vilões. É maravilhoso quando encontramos um vilão bem construído. E isso se deve principalmente a sua personalidade marcante.


Primeiro, sempre tem o bipolar. Ele pode ser aquele bonzinho que acaba tendo seus surtos psicóticos e causa o caos. Ou aquele que é todo trevoso , mas às vezes parece que virou domesticado.


Independente de qual seja sua personalidade. Ela normalmente chega chegando. É o ponto alto de maldade. E por isso um vilão é normalmente memorável. Ele é a cor negra em meio a tons pálidos, entendem? Tipo os figurino de Descendentes, eles se destacam de longe só por causa das roupas.


Os estereótipos se encaixam bem por aqui, porque eles são partes da personalidade dos personagens. Você pode criar uma situação traumatizante no passado e em como ele lidou com isso. Um passado interessante é o que torna um personagem relevante. E então, se seu vilão tivesse tido sua família massacrada pelo seu próprio irmão? Ou vítima de tentativa de assassinato ainda bebê? Pela sua própria mãe? É aquela coisa, se um episódio desses tivesse acontecido essa pessoa seria alguém comum? Como esse ocorrido teria afetado no desenvolvimento dessa criança?


Segundo, são suas motivações. Vilões são persistentes, ou pelo menos determinados a conseguir o que querem, independente de quem se opor aos seus propósitos. Um vilão não possui os mesmos limites que uma pessoa comum. Claro, que isso depende de malvado para malvado, tanto na ficção quanto na vida real.


Eles representam o lado "mau" que o mocinhos insistem em manterem-se longe amaioria das vezes até serem fisgados. Então, é óbvio que haverão coisas que apenas os vilões poderiam fazer, já que os outros personagens não teriam a coragem necessária e muito menos seria de acordo com seus ideais.

E é por essa imagem de que não há leis que possa impedi-los de fazer o que querem, que alternações no humor, sentimentos de fúria e explosões emocionais não são tão difíceis de acontecer com um vilão, basta ter um gatilho para que surja os piores e mais diabólicos acontecimentos, dando bastante emoção na história. Isso é muito usado no clímax de todo a história.


Como criar?

Agora, com todas essas informações reunidas, basta apenas criá-las e organiza-las, seja em uma ficha ou um resumo de sua trajetória. Colocando, obviamente, tópicos importantes, como sua função, motivações, passado, além de suas fraquezas, pois as fraquezas nos fazem humanos e fazer sempre a maldade não deve resultar em um ser humano perfeito; assim como a bondade. Você poderá colocar como será seu fim, por exemplo. Frequentemente eles têm um fim trágico; um acidente de carro, uma explosão aérea ou uma redenção, o que acho mais difícil de acontecer dependendo do caso.

Espero que tenham gostado. Tive que resumir um pouco, mas acho que passei o essencial. Essas são observações que tomei notas por conta própria pela minha experiência e de amigos próximos sobre o assunto. Se tiverem algo a acrescentar ou uma informação incorreta a nos alertar, deixem sua opinião aqui nos comentários, que sem falta irei respondê-los.


E quais são seus vilões preferidos? Talvez eu faça um post comentado sobre os meus, então sintam-se a vontade.

"A maldade nos corações humanos é espessa como sangue; É venenosa àqueles que desacreditam em sua existência e um câncer nos tolos cegos de ignorância."


R.W.































personagem é essencial em uma história.

Destaques

Posts Recentes

Arquivos

Tags

Siga a gente

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon