Resenha | Shadowhunters | 1ª Temporada | Episódio 001- Cálice Mortal



Olá, meus amores! Como estão? Como foi o H.l Anjens que apresentou essa maravilhosa série aqui para vocês, nós decidimos em alternar entre nós cada resenha de episódio. Por exemplo, se eu fiquei com com episódio um, ele teria que fazer a resenha do dois e eu ficaria com a do três, e assim por diante.


Indo direto ao assunto, Shadowhunters é uma série criada em parceria com a Freeform (uma rede de televisão) com a Netflix. É baseada nos livros de Cassandra Clare. O primeiro episódio foi lançado no dia 12 de janeiro de 2016.


É uma série que está melhorando bastante comparado a esse primeiro episódio. E, sim, eu estou acompanhando a série.


Eu realmente gostei da tentativa de seguirem o essencial dos primeiros capítulos do primeiro livro. Contudo, os efeitos são bem amadores nesse episódio, assim como a atuação de alguns atores. A mudança física de alguns personagens há um tempo atrás me deixava bem chateada, contudo, agora percebo que isso não faz tanta diferença para uma adaptação, mesmo que isso as vezes me deixe com uma sensação de que algo está errado. E, por outro lado, quando terminei de ler o último livro só consegui imaginar determinados personagens como sendo os da série.


A primeira cena é quando Jace Wayland, Isabelle e Alec Lightwood (shadowhunters) estão seguindo o rastro de um demônio transmorfo), mas isso não é explicado até depois da metade do episódio. Logo, depois dessa introdução um pouco repentina que nos deixa até um certo grau, curiosos, temos um pouco de quem é Clary Fray: Um garota que está fazendo seu aniversário de 18 aninhos, uma artista, melhor amiga e primeiro amor de Simon Lewis . Também temos a impressão que sua mãe pretende lhe contar algo de extrema importância que Clary não dá muita importância no momento.


Só para saberem eu não dei muita moral quando assisti esse primeiro episódio pela primeira vez. Foi através de incentivo que retomei a assistir, e me surpreendi com muitos acontecimentos que me emocionaram, além de mostrarem bastante o lado "frio" que os shadowhunters possuem quando passam por situações de grande estresse ou trama mesmo.


Eles deixaram pistas jogadas durante o episódio que foram bem sutis. Como a torrada que desapareceu sem razão nenhuma e a todo aquele suspense da ligação de sua mãe com o temível Valentine e todos os seus segredos. Porque, olha, ela tem muitos.


O demônio que ataca a Clary, ficou bem característico, junto com sua maquiagem toda borrada. E esse fascínio dela e do Jace um pelo outro também ficou bem evidente desde a primeira vez que conversaram, o que para os que shippam é uma maravilha dependendo dos seus gostos.


E não deixaremos de comentar sobre o nosso querido Magnus, sendo enigmático e divo ao mesmo tempo. Fazendo com que no questionemos: "Qual sua relação com a Jocelyn (mãe da Clary)?", "E por que a ajudava?" Lembro que fiquei bem curiosa em reação a isso quando ainda lia e isso foi transformado mais em ansiedade na série, tipo, "Cadê o Magnus Bane? Cadê o restante das suas cenas? Quando ele irá aparecer de novo?".

Aos que estavam ansiosos pelo Instituto ou a total falta de conhecimentos dos shadowhunters sobre o mundo dos mundanos, não fiquem muito esperançosos. Até a entrada do Instituto, eu me deslumbrei com toda aquela arquitetura e estrutura, mas colocarem os shadowhunters sobre a posse de grandes tecnologias me desanimou um pouco. O Instituto não é nem um pouco parecido com que imaginei, e muito menos semelhante ao descrito no original, que dava um ar bem mais atemporal e nostálgico.


Quando comecei a reparar nas coisas sem aquela expectativa por causa de Instrumentos Mortais, eu consegui aproveitar bem mais as coisas. E percebi que não há nada de tão mal assim. Ainda tem coisas que eu particularmente não gosto, contudo não são o suficiente para tirar meu interesse de Shadowhunters. A evolução do elenco, dos efeitos especiais, do enredo é muito grande, então digo que vale a pena. E uma trilha sonora maravilhosa. Tanto as músicas usadas quanto as duas aberturas são muito bem feitas, fico até com vontade de ficar repetindo quando passa ou baixar no celular para ficar assistindo ou escutando.


Se estiverem mais curiosos sobre Shadowhunters, eu também fiz uma resenha da primeira e segunda temporada em outro blog: Metamorfose Lunar -> Resenha: Shadowhunters 1ª e 2ª Temporada


Tenham todos uma ótima semana <3.




"Nós nunca atiramos para atordoar ,

Nós somos reis da morte,

estamos em busca de sangue

Vamos levá-los um por um."

-Mosters, Ruelle

R.W.













Destaques

Posts Recentes

Arquivos

Tags

Siga a gente

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon